Troféu Internacional de Artes Cénicas Finalmente Club

Na continuidade do trabalho de mais de quatro décadas a Transformar Lisboa, o Finalmente Club procura, actuando na área de Entretenimento e Lazer, mas também enquanto baluarte do exercício de Liberdade de Expressão, articular as várias disciplinas das Artes Cénicas, valorizando o Palco como lugar de transformação, destacando as múltiplas formas de expressão artística, o papel da Arte na Luta pelos Direitos Humanos, particularmente na Luta pelos Direitos das Comunidades LGBTQIA (Lesbian, Gay, Bisexual, Transgender, Queer, Intersex and Asexual).

É pela a valorização do Transformismo enquanto Arte Cénica e de todas as disciplinas que o vinculam – o Teatro, o Circo, a Música, a Dança, a Cenografia, os Figurinos, etc. – que este prémio internacional se institui, procurando dignificar o Palco, mas também as expressões de Liberdade que o Palco permite.

O Troféu Internacional Artes Cénicas Finalmente Club é um galardão atribuído anualmente, instituído a 01 de Maio de 2016, tendo como Embaixador Fernando Santos (Deborah Krystall), Director Artístico do clube e dos mais reputados Transformistas em Portugal.

No ano em que se comemorou 40 anos do Finalmente Club, ao club nocturno coube a Honra e o Privilégio em atribuir o Troféu Finalmente ao mais reputado artista de Palco em Portugal, Herman José, personalidade incontornável no mundo das Artes Cénicas, um Transformador do Palco, do Riso, do Género, da Sociedade. Um ano depois, e sempre a pensar na internacionalização do Troféu Finalmente e na sua credibilização, coube a vez de o entregar a uma das mais famosas “chicas” de Pedro Almodóvar, Rossy de Palma.

Membros do Júri

PRESIDENTE DO JÚRI
José António Marquina
Proprietário do Finalmente Club
Arquitecto galego a residir em Lisboa faz mais de uma década, altura em que se tornou o proprietário do actualmente mais antigo club de transformismo em Portugal.

ARTES CÉNICAS E DO TRANSFORMISMO
Fernando Santos
Director Artístico do Finalmente
O mais reputado artista transformista português nomeado para um Globo de Ouro (2010) na categoria de Melhor Actor pelo seu desempenho em “Morrer como um Homem” (2009) de João Pedro Rodrigues.

SECRETÁRIO DO JÚRI
Paulo Jorge Pereira
Advogado
Licenciado em Direito, Mestre em Relações Internacionais pelo ISCSP e Doutor em Ciências Sociais pela UL. Foi docente de direito na Escola da GNR. É advogado do Finalmente Club, formador de direito e consultor de empresas. Participa no Plano Municipal para a Igualdade da CMA.

TELEVISÃO
Ana Rita Clara
Apresentadora do Programa “Faz Sentido” da SIC Mulher Ninguém a confunde ou, talvez melhor, será impossível não a reconhecer imediatamente pelo sorriso. Ana Rita Clara deu-se a conhecer ainda na RTP. Nesta altura, especialmente ligada a programas na área da música, ele provou não ser mais uma cara bonita de verão qual uma lufada de ar fresco, mas ser a Mudança e a Maturidade ao mesmo tempo. Provou-o com o tempo que só a soube honrar. Da RTP para a SIC foi um saltinho de boa qualidade, a desfilar entre os programas onde informava cultura e os programas onde desfilava responsabilidade social, soube estacionar sem ficar parada. É na SIC Mulher, e do Mais Mulher ao Faz Sentido, que continua a conquistar e a manter uma faixa de público fiel num programa que é muito mais do que vespertino: é informativo, inteligente, cultural e olha a sociedade nos olhos usando não o sensacionalismo do momento, mas a reflexão que se impõe. É uma das novas veteranas apresentadoras de referência da televisão em Portugal.

CULTURA
Hélder Freire Costa
Director do Teatro Maria Vitória
Costuma ver todos os espectáculos do balcão do lado direito, junto ao seu escritório. Entrou para o Teatro Maria Vitória pela porta dos números, e gere-o há 54 anos, valendo-se da sua experiência de trabalho na banca. Quando entrou, lado a lado com o seu antigo proprietário, aprendeu o ofício de ser gestor e produtor de um sector onde há muito que faltam orçamentos que garantam salários dignos às equipas artísticas. Decano na direcção de um dos mais antigos teatros de revista, já pensou em sair, mas o agravamento dos recursos para a cultura obrigou-o a ficar.

Da Câmara Municipal de Lisboa diz receber um pequeno apoio que permite, por exemplo, não aumentar o preço dos bilhetes. No meio cultural lisboeta não há quem não o conheça, mas é no teatro de revista onde é reconhecido.

ACTIVISMO FEMINISTA
Paula Cosme Pinto
Blogger “A vida de saltos altos” no Expresso Online Consultora de um dos projectos actuais mais interessantes e que traz o Mundo à cidade de Lisboa, “O Apartamento”, passa uma parte interessante do seu ano a, pessoalmente, levar ao
Mundo a sua Lisboa. Jornalista, vestiu a camisola do Expresso durante 10 anos. Nos últimos 7 foi primeiro co-autora e depois autora a solo de um dos mais interessantes blogues de Activismo Feminista. Se é excelente lê-la, conhecê-la, ouvi-la e trocar ideias com ela é um privilégio e, assim sendo, tinha quase que obrigatoriamente passar pelo Júri dos Troféus Finalmente Club da mesma forma como desfila o elenco artístico: com a vida de saltos altos.

ASSOCIATIVISMO LGBTI+
Carlos Sanches Ruivo
Presidente da Variações Associação de Comércio e Turismo LGBTI+ Fundou, a 09 de Outubro de 2017, em conjunto com um grupo de empresários a actuar nas áreas do comércio e turismo LGBTI+ a primeira associação em Portugal destinada a impulsionar o crescimento sustentado de muitos operadores económicos que se dedicam ao mercado LGBTI+. A Variações, da qual é Vice-Presidente o arquitecto, empresário e proprietário do Finalmente Club,
José António Marquina, teve, desde o momento da sua inauguração, grande aceitação dos seus pares a trabalharem neste mercado, muito devido à experiência, astúcia e criatividade da direcção que vestiu a camisola desde o momento zero.
À Variações entregaram o profundo conhecimento do mercado LGBTI+, das necessidades dos seus players, das barreiras ao investimento e ainda de algumas desigualdades que quem se quer impor neste cluster empresarial tem de contornar. De realçar que Carlos Sanches Ruivo, Presidente da Variações, é proprietário do “The Late Birds Lisbon” empreendimento hoteleiro de 4 estrelas que cumpre a preceito o conceito de Gay Urban Resort Concept.

JORNALISMO
João MacDonald
Editor Executivo da Revista UP! Revista de Bordo da TAP O difícil que é descrever em poucas linhas um homem com tantas linhas para ler. Nasceu no Porto, estudou em Lisboa e fez-se profissional de um jornalismo em extinção pela forma imagética que sempre soube dar à notícia, ou não tivesse ele sido um dos discípulos de Paula Moura Pinheiro no mítico “Câmara Clara”. O mais atrevido editor da Agenda Cultural de Lisboa foi também o melhor repórter da Time Out e o grande viajante da Revista UP. Misturou tudo isto e tornou-se, obviamente, no mais elegante assessor de Imprensa no Parlamento Europeu e o mais competido guia turístico de Bruxelas. Já não sabemos nem quantos gatos nem quantas gatas tem e se ainda as tem a todas (e a todos). Do que temos absoluta certeza é que é um privilégio de poucos ouvi-lo contar histórias de pessoas com lugares lá dentro.

PODER LOCAL
Carla Madeira
Presidente da Junta de Freguesia da Misericórdia
Especialista em Gestão e Administração Pública, foi assessora na CML durante 5 anos nas áreas da Educação e do Desenvolvimento Social. Para além da sua intensa actividade cívica e como activista social, é autarca desde os 26 anos de idade, desempenhando vários cargos partidários.

PRODUÇÃO
Luís Lobo Alves (Xana)
Produtor
Produtor executivo faz décadas, trabalhou no Trumps durante dois períodos distintos, no Chapitô por quase uma década, no Teatro São Luiz, foi proprietário de um restaurante no Bairro Alto para voltar a trabalhar no Finalmente Club, onde também já tinha exercido as funções de produtor executivo.

RELAÇÕES PÚBLICAS
Ulika da Paixão Franco
Assessora de Imprensa
Proprietária de uma pequena agência de comunicação que se distingue por assessorar projectos comunitários e de desenvolvimento humano que se prendam com as questões de educação, ambiente, acções de sensibilização contra a discriminação étnica, de género, LBGTI. Concebe, desenvolve, comunica e promove projectos culturais nas áreas da música, teatro, literatura, cinema, moda, lifestyle, etc.

Simone de Oliveira

Actiz e Cantora
Intérprete

Simone de Macedo e Oliveira é uma actriz e cantora portuguesa das mais reputadas de sempre.

Filha de Guy de Macedo de Oliveira e de Maria do Carmo Tavares Lopes da Silva, assume também a sua origem Sãotomense.

Casou-se pela primeira vez aos 19 anos, tendo sido vítima de violência doméstica. Após três meses de sofrimento e na sequência de uma depressão aos 19 anos, o médico aconselha-a a distrair-se e Simone de Oliveira matricula-se no Centro
de Preparação de Artistas da Emissora Nacional.

Estreia-se, em 1958, em público, no primeiro Festival da Canção Portuguesa, realizado no Cinema Império, em Lisboa.

Em 1959, a editora alvorada lança um EP com 4 artistas, sendo que Simone de Oliveira é uma das integrantes.

Estreia-se no teatro de em 1962, no mesmo ano em que vence o Festival da Canção de Figueira da Foz. Recebe o Prémio Imprensa em 1963.

Vence o Festival da Canção de 1965 com o tema “Sol de Inverno”. É eleita Rainha da Rádio. Participa com “Começar de Novo” de David Mourão Ferreira o Nóbrega e Sousa no primeiro Festival Internacional da Canção do Rio de Janeiro, realizado em 1966. Amália Rodrigues faz parte do júri e escolheu Simone de Oliveira como representante de Portugal.

Com Amália, integra o elenco de convidados totalmente composto em Português que inicia uma temporada no Olympia, em França. É em 1969 que Simone vence o Festival RTP da Canção com o maior êxito da sua carreira: “Desfolhada Portuguesa” da autoria de José Carlos Ary dos Santos e Nuno Nazareth Fernandes, com orquestração do maestro Joaquim Luís Gomes e direcção de Orquestra por Ferrer Trindade.

Perde a voz num incidente em 1969, mas continua a cantar e a actuar; em 1981 é editado o álbum Simone e em 1984 o álbum Simone, Mulher, Guitarra que é uma incursão da cantora no Fado. Em 1988 apresenta o programa de televisão “Piano Bar” da RTP; no mesmo ano é que lhe é diagnosticado o cancro da mama que o vence. Enviúva do actor Varela da Silva.

Celebra 40 anos com o espectáculo Simone, me confesso, espectáculo esse integrado na Expo-98.

Em 2017 fez o seu primeiro Coliseu dos Recreios comemorando 50 anos de Carreira e em 2008 o espectáculo “Um País Chamado Simone”.

Com várias biografias, vários prémios de imprensa, o Prémio Pozal Domingues, foi condecorada com o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique (1997), tendo sido elevada ao grau de Grã-Cruz da mesma Ordem (2015).

No Teatro, destaca-se o de revista, tendo atingido o maior sucesso do público e da crítica com “A Tragédia da Rua das Flores”. Participou no Teatro Nacional D. Maria II na peça “Passa por mim no Rossio” e no teatro Politeama em “Maldita Cocaina”.

EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish